fbpx

Junho é marcado pelas festas de São João, com as comidas mais gostosas do ano

Fogueira, bandeirinhas, jogos e guloseimas a base de milho. Sim, finalmente chegou uma das épocas mais aguardadas do ano. As festas de São João são um momento de valorização cultural e resgate de tradições que remetem à origem da celebração trazida ao país pelos portugueses. Mas a festa também tem um importante papel econômico, com geração de empregos e renda nas cidades onde são realizadas. E para potencializar estes ganhos, o Ministério do Turismo investirá cerca de R$ 5 milhões para realização dos festejos no país. Um cadastro feito pelo governo mostra que há pelo menos 54 festas de São João tradicionais no país.

Umas das festas mais tradicionais do Rio Grande do Norte, o São João do Assú, completa este ano 290 anos de existência. A festa, realizada de 11 a 25 de junho, recebeu o apoio de R$ 195 mil e promete um cardápio cultural recheado de atrações musicais. São esperados 300 mil turistas para a celebração. Em Itumbiara (GO), o XII Arraia da Cidade também irá movimentar a cidade de 21 a 26 de junho com um público estimado em 300 mil pessoas. Para o São João da Cidade foram investidos R$ 500 mil da Pasta.

E você, já planejou a próxima viagem?

Em Campina Grande (PB), os festejos tiveram início na sexta-feira (03) e se estendem até o dia 3 de julho, no Parque do Povo. A prefeitura estima que dois milhões de pessoas participem do evento e prevê a movimentação de R$ 200 milhões. Em Caruaru, no Pernambuco, as festas vão de 4 a 29 de junho, com danças de quadrilha, exposição de obras de arte e apresentações de artistas como Elba Ramalho. Dois milhões de pessoas devem passar pelo evento, movimentando R$ 300 milhões. Entre os dias 4 e 26 de junho será a vez de Mossoró (RN) realizar a festa de São João, reunindo 1,5 milhão de pessoas e injetando R$ 15 milhões na economia local.

Tradição e Cultura

Trazidas ao Brasil pelos europeus no período colonial, as festas em homenagem aos santos Antônio, Pedro e João, realizadas no mês de junho, tornaram-se ícones da cultura nordestina, integrando a produção de comidas típicas, tradições religiosas e as danças embaladas pelo ritmo do forró.

Você sabia?

A dança de quadrilha teve origem na França e foi trazida ao Brasil pelos europeus no início do século XIX. Seu nome refere-se aos quatro casais que participavam da dança, originalmente realizada nos bailes da nobreza europeia. Com a popularização da dança no Brasil, esta manifestação cultural agregou aspectos da cultura local, que resultaram na adaptação das palavras de comando da dança do idioma francês à língua portuguesa, na criação de novos passos, e no aumento do número de participantes, que hoje dançam no ritmo do forró.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *